13 de janeiro de 2017



Os pacientes da rede pública de saúde participaram na noite desta terça-feira (10) do primeiro dia do mutirão para a realização de exames de imagens em hospitais filantrópicos conveniados à Prefeitura de São Paulo.

O Corujão da Saúde, uma das promessas de campanha do prefeito João Doria (PSDB), promete zerar a fila por exames na capital paulista.
Confira a reportagem a seguir (que deve começar a rodar automaticamente):


A camareira Maria Cícera dos Santos esperou oito meses por uma tomografia e foi uma das primeiras a ser atendida. “Eu não esperava que essa vaga surgisse, que saísse mais, porque já faz mais tempo”, afirmou.
A aposentada Maria José Cunha sofre com dores de cabeça e esperava havia um ano a realização de uma tomografia. “Eu estava aguardando isso, dependendo disso daí. Tenho que ter o raio-x, a tomografia pra saber o que você tem, pra tomar remédio e fazer o tratamento”, declarou.

A expectativa do Corujão da saúde é a de zerar a fila de exames na rede municipal em um prazo de 90 dias. Por enquanto, quatro instituições particulares participam do programa. São os Hospitais do Coração, Sírio Libanês, Oswaldo Cruz e Albert Einstein.

“Vocês estão vendo aqui um hospital de altíssimo nível, de primeira linha que está ajudando a população colocando à disposição a sua estrutura, seus aparelhos para que essa fila seja rapidamente terminada”, afirmou o secretário municipal da Saúde, Wilson Pollara, no Hospital do coração.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, os exames serão feitos, de preferência, entre 20h e 0h. Mas, na prática, cada unidade define os horários disponíveis.

No HCor, os exames de tomografia serão feitos de segunda à sexta, das 16h às 18h. No Sírio Libanês, de segunda a quarta das 18h às 21h30 e, aos sábados, das 7h às 13h.

No Albert Einstein, o atendimento começa na próxima segunda-feira (16). Já no Hospital Oswaldo Cruz, serão realizadas tomografias computadorizadas e ressonâncias magnéticas das 19h às 6h.


Até o mês de abril, esses hospitais vão oferecer 14.550 exames. Esse número representa apenas 3% da fila de 485 mil exames da rede pública que o prefeito promete zerar. A Prefeitura disse que vai fechar novos convênios com hospitais particulares e fará mutirões em 140 unidades da rede municipal.

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz vai ampliar o horário de atendimento para fazer os 7.530 exames até março.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, o Corujão da Saúde vai atender pacientes que estão esperando de um até seis meses na fila. A Prefeitura quer viabilizar transporte para quem faz exames na madrugada.

Fonte: g1

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: