25 de fevereiro de 2015

Alter do Chão / Fonte: Espaço Alter do Chão
Segundo o site do jornal O Estado do Tapajós "As análises de águas superficiais que banham as praias de Alter do Chão, em Santarém, no Oeste do Pará, coordenadas pela professora de engenharia de pesca, Graciene Fernandes, do Laboratório de Ensino Interdisciplinar em Biologia Aplicada da Universidade Federal do Oeste do Pará(UFOPA) não podem ser consideradas conclusivas para determinar que as mesmas estejam impróprias para banho, na Praia do Amor, e em alguns casos, para consumo humano"

O site destaca também que "há a necessidade de um exame de contraprova e críticas de especialistas no assunto sobre interpretação agrupada de amostras de água para banho e consumo, e a conclusão precipitada dessas análises de laboratório, tendo em vista que não foram realizadas as cinco amostragens, conforme determina a legislação para emissão de parecer conclusivo. O juiz Rafael Gres, da Comarca de Santarém, no dia 13 de fevereiro, negou a interdição das praias de Alter do Chão, requerida pelo Ministério Público, tomando por base o relatório microbiológico da UFOPA".

O jornal, apesar de não citar a fonte consultada nem o nome do especialista, continua destacando vários pontos questionáveis e alega que a UFOPA se negou a fornecer cópia dos laudos aos jornalistas que solicitaram. Leia esta postagem na íntegra em:  Exame de água de Alter do Chão feito pela UFOPA não é conclusivo para proibir banho na ilha, diz especialista

Fonte: O Estado do Tapajós. 

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: