4 de dezembro de 2013

De acordo com o site  Estado Net "o professor José de Seixas Louenço acaba de entregar ao Ministério da Educação seu pedido de exoneração do cargo de reitor pro tempore da Universidade Federal do Oeste do Pará(UFOPA)".  

Com isto acaba o período Pro Tempore na UFOPA e Seixas sai sem conseguir deixar um sucessor, uma vez que seu candidato, Aldo Queiroz, perdeu a eleição recentemente para a candidata Raimunda Monteiro. Aldo ainda está recorrendo, por não aceitar a derrota e o Conselho Universitário está sendo pressionado pelas entidades representativas da Universidade à homologar o resultado e fazer valer o resultado vindo das urnas. Daqui a pouco, trago mais detalhes sobre a exoneração do reitor Pro Tempore. 

-----------------
Atualização às 16:52 h:
De acordo ainda com o referido site, a saída do Professor Seixas, aconteceu devida a "interferência da Secretaria de Ensino Superior do MEC para tentar antecipar a data da reunião do Conselho Superior Universitário (CONSUN) que concluiria o processo eleitoral para escolha do reitor e do vice-reitor da instituição, que já estava marcada para dia 9.... Por considerar que essa pressão do MEC, a pedido da bancada federal do PT, feriu a autonomia universitária, o reitor pro tempore Seixas Louenço resolveu entregar o cargo em caráter irrevogável, através de carta à SESU".
Nas redes sociais já é possível ver pessoas comemorando a saída do magnífico, ponto fim à era Pro Tempore.  

--------------------------
Atualização às 20:45 
De acordo com o Blog do Jeso, um documento obtido por aquele blog, desmente a versão extraoficial da exoneração do reitor, conforme relatada acima.

Trata-se de um abaixo-assinado, entregue ao ministro Aloísio Mercadante e subscrito por 9 deputados federais de diferentes partidos, entre os quais PMDB, PTB, PDT, PROS e PT.

Nele, parlamentares como Giovani Queiroz (PDT), Dudimar Paxiúba (PROS) e Josué Bengtson (PTB), além de Cláudio Puty(PT), pedem a “imediata posse” de Raimunda Monteiro (reitora) e Anselmo Colares (vice), dada a vitória deles na disputa para os cargos.

- Ponderamos pela imediata nomeação dos eleitos, cumpridas as formalidades que cabem ao CONSUN – diz o documento, com data de 27 de novembro.

Neste link, a íntegra do documento.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: