17 de maio de 2013

Nesta semana Marina Silva pode ter conseguido a façanha de desagradar "gregos e troianos", ou seja ela pode ter perdido o apoio dos anti-Felicianos e dos defensores da família ao mesmo tempo. 

De um lado os "anti-Felicianos" ficaram irritados com a declaração da ex-senadora, e criadora do novo partido, A rede, ao afirmar que "Feliciano está sendo mais hostilizado por ser evangélico que por sua declarações equivocadas.". Pelo Facebook, Marina Silva tratou logo de se explicar e disse  que "Marina Silva não defendeu o deputado Feliciano, como escreveu o Diário de Pernambuco. Desde a eleição dele para a CDH, Marina Silva se pronunciou contrariamente. Veja nota para a imprensa aqui (http://migre.me/ezKIi)." disse a mesma a um internauta que não gostou de saber que Marina havia apoiado Marcos Feliciano.

Por outro lado, Marina pode ter perdido o apoio de milhares de defensores da Família ao falar sobre o casamento gay e a adoção de crianças por eles. "Eu não concordo com nenhum tipo de discriminação. A Bíblia diz que cada pessoa é livre para fazer o que quiser. Não sou contra o direito dos homossexuais. Uma criança que não tem acolhimento precisa de cuidado, e fico pensando no que Jesus diria, é claro que ele preferiria uma criança cuidada com amor e carinho. Se alguém disser que casamento entre pessoas do mesmo sexo tem sacramento, para isso não há respaldo religioso, mas os direitos civis são estabelecidos pela lei, e eu defendo os direitos civis de todas as pessoas" (Texto publicado no G1 em 15/05/2013 em 'Feliciano não tem tradição na defesa dos direitos humanos', diz Marina).  

É importante lembrar que Marina Silva, que é evangélica e em 2010, durante a campanha presidencial a mesma chegou a ter o apoio do Pr. Malafaia, no entanto a mesma perdeu o apoio do Pastor ao tentar ficar em cima do muro sobre os temas: aborto e liberação da maconha. "Pior do que o ímpio é um cristão que dissimula. Eu queria entender como uma pessoa que se diz cristã, membro da Assembleia de Deus, afirma que se for eleita presidente do Brasil vai convocar um plebiscito para que o povo decida se aprova ou não o aborto, ou se aprova ou não o uso da maconha." disse o Pr. Malafaia em um texto intitulado Não voto mais em Marina e digo por quê. 

O Blogueiro Ronilson, evangélico e ex-simpatizante* do futuro partido A Rede, perguntou ontem na página oficial de Marina no Facebook: "Que eu é isso companheira Marina Silva? Você não concorda mais concorda? Pode-se traduzir que a Marina Silva poderá ser a futura candidata evangélica à defender a União civil de homossexuais?". Até agora, nenhuma resposta foi dada ao blogueiro.

* Ex-simpatizante, pois diante da postura de Marina, o blogueiro deixou de apoiar o novo Partido. Apesar de respeitar o direito de todos, o blogueiro defende e apoia qualquer causa, desde que esta não fira os princícipios bíblicos.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: