6 de abril de 2013

Do Oimpacto:
A Justiça Eleitoral marcou para segunda-feira, 08, a primeira audiência, de um total de 04 ações de investigação judicial eleitoral, movida pela coligação “Unidos Por Belterra”, encabeçada pelo médico Dr. Macêdo (DEM), juntamente com representantes dos partidos PRB e PPS, contra a atual prefeita de Belterra, Dilma Serrão Ferreira da Silva (PT) e seu vice José Flávio de Oliveira Germani (PSC), ambos componentes da coligação “Quero Mais Para Belterra”.

Dilma é acusada de cometer diversos crimes eleitorais, na eleição de outubro do ano passado, como compra de votos, aquisição de combustível, entre outros. O julgamento da prefeita Dilma Serrão será acompanhado por representantes da 104ª Zona Eleitoral.

Após a apuração da eleição de outubro de 2012, o TRE confirmou a vitória de Dilma Serrão, por 25 votos a mais que Dr. Macêdo. O fato levou a coligação “Unidos Por Belterra”, a acusar a prefeita Dilma Serrão, o vice José Flavio, o vereador Marlisson Macêdo e o ex-prefeito de Belterra, Geraldo Irineu Pastana, de abuso de poder politico e captação ilícita de sufrágio.

De acordo com a coligação “Unidos Por Belterra”, a campanha eleitoral se desenvolveu com ampla prática de conduta caracterizada de compra de votos e do uso da máquina administrativa, com claro abuso de poder político por parte da candidata Dilma, de Marlisson e do ex-prefeito Geraldo Pastana, ambos acusados de utilizar o dinheiro da Prefeitura para distribuir combustível para os que trabalham em suas campanhas, além da prática de captação ilícita de sufrágio, com a efetiva compra de votos em dinheiro.

A coligação de Dr. Macêdo destaca que a candidata comprou o voto de um munícipe por R$ 100,00 (cem reais) e, que como provas, está atrelado ao processo nº 531-52.2012.6.14.0104, três declarações de próprio punho de uma pessoa que foi abordada pelo Secretário de Educação, Luciano, integrante do staff da Prefeitura Municipal.

Já a Defesa dos eleitos e do ex-Prefeito rebateu as acusações negando tudo. 


Leia também: Ação contra Dilma: Justiça ouvirá testemunhas

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: