20 de fevereiro de 2013

O site Radar on-line, assinado pelo jornalista Lauro Jardim, de "Veja", postou hoje, dia 20, nota sobre a #rede baseada em informações equivocadas.

A Coordenação Nacional Provisória da #rede enviou ao site esclarecimentos para evitar que a divulgação da versão errônea continuasse.

Sem admitir a falha, Lauro Jardim tratou a manifestação laconicamente: "A Coordenação Nacional Provisória da #rede nega que Marina Silva tenha dito a frase acima. O Radar mantém a informação publicada". 

Veja a seguir a correção solicitada:
A nota publicada hoje no Radar on-line intitulada "Plano B" merece reparo naquilo que é, supostamente, a sua notícia _a de que a ex-senadora Marina Silva pode buscar abrigo em outras legendas caso, até setembro, não seja efetivado o projeto de viabilizar a #rede, como se denomina o novo partido a ser constituído por ela e outras tantas pessoas interessadas em promover a renovação dos paradigmas da política brasileira.

A frase atribuída a Marina nunca foi externada por ela em nenhum lugar a quem quer que seja.

Essa possibilidade de Plano B nunca foi proposta pelo PDT ou por qualquer outra pessoa. A ideia de fusão com o PPS para o mesmo fim nunca foi considerada pela quase totalidade daqueles que estão envolvidos na criação da #rede, inclusive pela própria ex-senadora.

Desde o final da tarde do último sábado, dia 16, quando foi dada a largada para a coleta das 500 mil assinaturas de apoio ao registro da #rede na Justiça Eleitoral, o site www.brasilemrede.com.br registra cerca de 20 mil downloads de fichas de apoio. Mais de 2.000 pessoas já se cadastraram para coletar voluntariamente as assinaturas.

Nesse mesmo sábado, 1.700 pessoas se reuniram em Brasília para aprovar a criação do novo partido. Todas estiveram lá, vindas das mais diversas partes do país, custeadas pelos próprios bolsos. Por mais de três horas, cerca de 1.200 internautas acompanharam ininterruptamente a transmissão das atividades do Encontro Nacional da Rede Pró-Partido.

Contra fatos, como os citados acima, não há evidências ou suposições que possam justificar o tal "Plano B". O que se verifica, de verdade, é que o "Plano A" - construir a #rede e fazer a política brasileira ser um espaço de respeito à cidadania - é um processo virtuoso e sem volta. 

Coordenação Nacional Provisória da #rede

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: