2 de fevereiro de 2013

O bebê de sete meses que estava internado no Hospital Municipal de Santarém, vítima de calazar, morreu na tarde desta sexta-feira (1).

A criança é o primeiro caso confirmado da doença neste ano. Ela morava no bairro Aeroporto Velho, uma área considerada endêmica, onde em 2010 outra criança também morreu por causa da mesma doença.

A família da criança está revoltada, uma vez que o bebê estava internado há duas semanas no Hospital Municipal e deveria ter sido encaminhado ao Hospital Regional do Baixo Amazonas.

O diretor administrativo do HMS, Gleiton Rodrigues, esclareceu que a criança não foi encaminhada para o HRBA por que este não disponibilizou leito.O velório da criança foi realizado na noite desta sexta em uma igreja evangélica no bairro onde morava.A morte da criança ocorreu às 17 horas, mas o médico coordenador do PSM, Fábio Botelho, só recebeu o laudo às 19 horas.

A criança foi internada no dia 15 de janeiro, com diagnóstico de calazar e morreu devido a uma infecção generalizada. O nome da criança é Thayla Cristina.

O bebê morreu 1 hora antes de ser transferido
A direção do Hospital Municipal de Santarém informou que a menina Thayla Cristina, de 7 meses, que morreu vítima de calazar, na tarde de sexta-feira (1), seria transferida para o Hospital Regional do Baixo Amazonas, que é referência em tratamentos de média e alta complexidade.

A transferência seria às 18 horas de sexta-feira, mas a criança morreu às 17 horas.A família contesta e acredita que houve demora na tomada de decisão. “Já foram conseguir o negócio lá na UTI depois que ela morreu (...). Disseram para ela ir lá pra UTI, mas ela não tinha mais jeito”, lamentou a tia da criança, Ana Raquel Castelo, que acompanhou a menina durante os 15 dias de internação.

A direção do Hospital Municipal explicou que a solicitação de transferência obedeceu aos critérios médicos. “A parte médica faz toda a parte de análise da criança. A partir do momento que eles identificaram a necessidade da transferência dessa criança para o Regional [hospital], veio junto à administração [do Hospital Municipal] e fez uma demanda a ser solicitada ao Regional. Nossa técnica responsável fez a solicitação via fax, o Regional deu o deferimento e ficou acordado que a transferência dela seria à noite”, explicou o diretor do Hospital Municipal de Santarém, Gleyton Rodrigues.

Fonte: Portal Notapajos

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: