5 de outubro de 2012

Da Folha de São Paulo:
A Polícia Federal intimou para prestar depoimento o coordenador da campanha petista de Parauapebas (PA) e o empresário que se identificou como dono do R$ 1,1 milhão apreendido nesta semana no aeroporto da cidade.

O início dos depoimentos está previsto para o dia 9.

Na terça-feira passada policiais apreenderam o dinheiro com um casal que acabara de desembarcar na cidade.

A PF tem indícios de que o dinheiro seria entregue a Alex Ohana, coordenador da campanha do PT à prefeitura e ex-secretário local de Saúde.

O juiz eleitoral responsável pelo apreensão do dinheiro disse à PF ter visto Ohana deixar o aeroporto assim que percebeu a chegada dos policiais. A PF disse ter confirmado com a Infraero a presença de Ohana no local.
Anônimo
"Há veementes indícios de prática crimes eleitorais", disse à Folha o delegado da PF Antônio Carvalho.

Outro indício foi dado por um dos passageiros, que em depoimento disse que o dinheiro seria entregue ao coordenador da campanha do petista José Couto.

Procurado ontem, Ohana não atendeu os telefonemas. A assessoria da campanha afirmou que o dinheiro não tem relação com o PT.

Parauapebas, com 153 mil habitantes, está localizada em região rica em minérios e onde funciona um complexo da Vale. A cidade é administrada desde 2005 pelo PT.

"Há veementes indícios de prática de crimes eleitorais", disse o delegado da PF Antônio Carvalho.

A White Tratores, que assumiu ser a dona do dinheiro, assinou segundo registros da prefeitura ao menos oito contratos com o município desde 2009, no segundo mandato de Darci Lermen (PT), em um total de R$ 5,4 milhões. Procurada para comentar a prestação dos serviços e os processos licitatórios, a prefeitura informou que precisaria de ao menos cinco dias para apurar os dados.

Leia também:

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: