2 de agosto de 2012

Técnicos administrativos, Professores e Estudantes em greve bloqueiam a entrada do Campus Tapajós da UFOPA. Foto: Ronilson Santos, em 27/06/2012
Brasil - Os docentes da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) decidiram em assembleia realizada na terça-feira (31) no campus Rondon manter a greve por [ tempo ] indeterminado. A decisão segue a orientação nacional do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes).

Segundo a comissão de greve local, a proposta do governo federal em parcelar em três anos o reajuste salarial deles, não agradou os servidores. "A nossa contraproposta é justamente acabar com essa história de parcelamento, cálculos do sindicato demonstram que há uma redução e não queremos só dar conta da inflação, queremos valorização e aumento salarial que só vira se for feito em parcela única", enfatiza o presidente do Sindicato dos Professores da Ufopa, Luis Fernando. 

O movimento, que passou de dois meses com a maior adesão registrada, teve início em 17 de maio como forma de pressionar o governo a definir as mudanças na carreira e no salário dos profissionais antes do envio do Orçamento 2013 ao Congresso Nacional, em 31 de agosto. 

Com a greve a maioria dos cursos da Ufopa permanece paralisados, mas o pró-reitor de planejamento da instituição, Aldo Queiroz informou que as aulas do Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA) devem iniciar no segundo período letivo normal conforme o calendário acadêmico. Segundo ele, professores aprovados no último concurso foram nomeados para atender as novas disciplinas do instituto. "A nossa expectativa é que as atividades voltem o mais rápido possível", concluiu Queiroz. ( Fonte: Portal Notapajós)

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: