20 de agosto de 2012

Por: Pedro Emiliano.
Crianças sendo transportadas sem capacetes.
Foto arquivo do Blog do Ronilson.
Essa pergunta se faz quase que diariamente nos bastidores, nos cantos de ruas, nos comércios, nas igrejas, em qualquer lugar. Até quando vamos ver corpos tombados, pela imprudência de usuários com veículos motorizados? 

Belterra está concluindo o 4º mandato político e nosso trânsito continua do mesmo jeito. A realidade do trânsito em Belterra é triste. Quando se percebe, ou alguém fala: “um acidente”, logo nos vem na mente: morte e prejuízos. Belterra vive hoje a sequela de acidentados vítimas do trânsito maluco. Quem sabe agora melhora, pois com a presença dessa equipe do Demutran, talvez as coisas mudem um pouco. Mas já se percebe a exiguidade dessa equipe. A impressão que se tem, é que a presença dela nas ruas foi só nos primeiros dias. Eu acho que se esta equipe ficar definitivamente nas ruas de Belterra, o trânsito certamente terá uma melhora considerada. Está nas mãos desta equipe a sorte do trânsito na cidade, a melhoria que tanto esperamos pra ver se não se temos mais surpresas com acidentes.

Lembramos ainda daquela madrugada de domingo, a imprudência, o desrespeito com a vida daquela jovem que teve um fim triste. Linda, inteligente, deixou de viver. Deixou de viver pela imprudência de uma pessoa que como se diz na gíria: se acha. E realmente se achou. Mas se achou de uma forma tão cruel que tirou a vida da Joice Castro. Meiga, inofensiva, de uma família tradicional em Belterra e que não merecia uma morte assim. Pelas muitas vezes que éramos colunista de um jornal de Santarém, apelamos, apelamos e apelamos para uma melhoria do trânsito em Belterra. 

Dizem os mais sábios que em Belterra existe uma lei pra não se usar capacete, uma lei pra menor de idade pilotar grandes motos de 100, 125, 150 ou250 cilindradas, dirigir carro sem ser habilitado, nem se fala mais. Menor de idade dirigir carro se tornou rotina aqui em Belterra. 

Deveria existir uma fiscalização aqui em Belterra nas festas dançantes, pois quando termina uma festa desse gênero ou outro evento, alguns motoqueiros saem embriagados conduzindo sua moto, colocando sua própria vida e a dos outros em risco. Meu Deus até quando vamos ter que conviver com esta triste realidade? 

Um dos trechos aqui em Belterra que pede muita atenção dos condutores de veículos motorizados, é da estrada 06 até a “boca da oito” [ cruzamento da estrada 08 com a estrada 01 ] . Não existe ajuda por parte de certas pessoas, que não dão sequer espaço para serem ultrapassadas. Quem dirige seu carro ou moto, tem que se virar. É uma ginástica tamanha nesse trecho. 
Fica aqui mais uma vez o nosso apelo, para as pessoas responsáveis pelo trânsito tentar corrigir os erros da velocidade, os erros no asfalto. Hoje, estamos vivendo outra realidade em Belterra. Antes éramos dois carros, hoje somos 10. Então aumentaram 8 e um aumento considerado. Antes tínhamos 2 motos, hoje temos 15, outro aumento ( comparação ) . Então, alguma coisa tem que ser feita. Em qualquer lugar do país, é obrigatório o uso do capacete, um equipamento que evita, quem sabe, a morte. Infelizmente aqui em Belterra os usuários ainda não se deram conta de que tem que usar tal equipamento.

Leia também:
[ BELTERRA ] Usar capacete pra que? A maioria dos motociclistas belterrenses não usam capacete

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: