16 de julho de 2012

Por unanimidade, a Câmara aprovou hoje (12) a instalação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar os motivos de um vazamento de 7 mil litros de ácido sulfúrico de um dos tanques da empresa Cargill, na zona Norte de Goiânia. 

“Esse vazamento foi amplamente divulgado pela imprensa local”, alega o autor da CEI, Djalma Araújo, do PT.

A Comissão, porém, só será instalada em agosto, com o término do recesso legislativo. Ela será composta de sete membros, a serem indicados pelos partidos. Eles terão 60 dias de prazo, prorrogáveis pelo mesmo período, para investigar e indicar a autoria dos responsáveis pelo vazamento do ácido, bem como apurar se estão regulares as licenças ambientais e de uso do solo concedidas às empresas transportadoras sediadas naquela região. 

OMISSÃO- De forma contundente, o vereador petista acusou a Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) e Ministério Público “pelas falhas na investigação na atuação dessa empresa. É sabido que a Cargill não cumpre a legislação ambiental, não respeita as leis. Isso ocorre há vários anos”, acusou.

Djalma disse que o rio Meia Ponte, que corta a região, é considerado patrimônio da União. “Dessa forma”, enfatizou, “vou pedir que o Ministério Público federal entre nessa investigação, já que não é possível continuar com essa inércia e omissão dos órgãos ambientais de Goiânia”.

O vereador petista alega que a região Norte “é vista como suculento filé da especulação imobiliária. Daí que tudo ali é feito apenas para incrementar novos loteamentos, sem respeito às leis ambientes do município”.
(Antônio Ribeiro dos Santos).

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: