28 de junho de 2012

Leia a notícia publicada no Blog Portal Belterra e eu volto logo abaixo:
O pré- candidato a prefeito vereador Ulisses Medeiros (PMDB), maior articulador do pedido do afastamento do vereador Ademar Sanches (PT), da presidência da Câmara, por supostas irregularidades, surpreendeu a todos na última sessão da Câmara ( 26), quando votou contra a cassação do ex- presidente. Parece que a preocupação do vereador não era com a moralidade do legislativo como se pregava. 

Em contrapartida o vereador Ademar, sai fortalecido e de cabeça erguida e deverá receber o reconhecimento da sociedade que deverá elege-lo novamente. Parece que a maior erro do ex- presidente Ademar foi justamente sua renuncia da presidência, ao contrário assumiria suas funções normalmente após o surpreendente resultado da votação. 

 Voltei:
Não há dúvida nenhuma de que o vereador Ademar Sanches nesta semana tem muito a comemorar, pois com certeza, ele foi o único vereador belterrense que saiu fortalecido após a votação do seu pedido de cassação. Sim, isto mesmo, a votação do pedido de cassação foi uma das maiores vitórias política que o vereador já conquistou. Entenda melhor nos parágrafos a seguir. 
Acho que todos lembram, que no final do ano passado o vereador Ademar Sanches foi duramente "acusado" por vários vereadores por supostos atos de improbidade administrativa ( não vou entrar em detalhes, pois já foi bem esclarecido aqui no blog, mas se você quiser ler mais, clique aqui ) e os mesmos entraram com requerimento para afastar o vereador da presidência da câmara. 

Como o vereador Ademar se negava a colocar o requerimento em votação o caso foi levado à justiça. Assim, no dia 15/12/2011 os vereadores: Ulisses Medeiros, Jociclelio Macedo, Reginaldo Lobo e Maria Creunilda Ribeiro impetraram um mandado de segurança ( Processo nº 0016877-12.2011.814.0051) na 8ª Vara Cível da Justiça do Estado do Pará contra o vereador Ademar Sanches. No processo, os impetrantes requeriam a "concessão de medida liminar para decretar o imediato afastamento do impetrado ou, alternativamente, a determinação para convocação de sessão para deliberar sobre o requerimento 06/2011". Os autos do processo relatam que os motivos que levaram os impetrantes a solicitar isto, deu-se devido a "...recusa (do vereador Ademar) em colocar em votação o requerimento nº 06/2011, assinado por 2/3 dos vereadores, que visa deliberar sobre o seu afastamento do cargo de Presidente da Câmara, considerando a existência de supostos atos de improbidade, sob o argumento de não se tratar de matéria ou fato relevante que justifique a realização de sessão extraordinária."

A partir de então, o legislativo belterrense passou por momentos tensos o que culminou com a ocupação da câmara por defensores do vereador Ademar. Mesmo assim, no dia 28 de dezembro os vereadores aprovaram por unanimidade o afastamento do vereador Ademar ( alegando o que mesmo? Diziam eles que seriam supostos atos administrativos).

Depois disto, partidos políticos se esforçaram para eleger o novo presidente da câmara. Porém, foi a vereadora Nilda Paixão(PSD) que consegui uma melhor articulação política e no dia 28/02/2012 Nilda Paixão é aclamada  presidente pelos vereadores: Betão*, Laura*, Mico*, Macedo* e Malú*. No entanto, como a decisão não foi unânime, na sessão do dia 06/03/2012 os vereadores que não apoiaram a aclamação da vereadora Nilda Paixão, conseguiram o apoio dos vereadores Mico e Betão - que já tinham apoiado a aclamação da vereadora na sessão anterior - e estes voltaram atrás e juntos entraram com um pedido para que fosse feita uma nova eleição para presidência da câmara

Porém, como a vereadora Nilda Paixão não quiz votar a solicitação dos vereadores para a realização de uma nova eleição o caso foi parar na justiça novamente. Desta vez, o impetrante foi o PMDB, através do vereador Ulisses Medeiros que entrou com um mandado de segurança (Processo de nº 0002912-30.2012.814.0051) contra a vereadora Nilda Paixão, solicitando o afastamento da mesma da presidência da câmara e a determinação para a realização de uma nova eleição. Note que, agora o vereador Ulisses, que antes estava unido com a vereadora Nilda Paixão (como impetrantes) requerendo o afastamento do vereador Ademar, agora está do outro lado. Agora, ele assina o requerimento pedindo a realização de nova eleição e entra na justiça contra a vereadora. O vereador Reginaldo Lobo, que antes assinara o requerimento pedindo o afastamento do vereador Ademar da presidência, agora também assina o requerimento pedindo o afastamento da vereadora Nilda Paixão. No entanto, no dia 12/06/2012 o processo foi considerado extintoDiante disto, a vereadora Nilda Paixão continua no cargo como  presidente da câmara. 

Como o vereador Ademar deixou a presidência, deu-se início ao seu processo para "apurar" os supostos "atos de improbidade" e na última terça-feira (26) foi votado o pedido de cassação do vereador Ademar. Foi neste dia, que o vereador viu a grande vitória política que ele conseguiu ao ver os vereadores Ulisses Medeiros e Reginaldo Lobo votando contra a sua cassação. Isso mesmo, os autores do pedido de cassação, votaram contra o próprio pedido que fizeram. 

É claro que diante disto, muita gente pergunta: 
  • E as denúncias? Não eram verdades? 
  • Quer dizer que todo aquela "crise política" que aconteceu no final do ano passado, baseava-se meramente em boatos? 
  • Não tinha gente que dizia que tinha provas e etc? 
  • Quer dizer, que as pessoas tinham razão em afirmar que a tentativa de afastar o vereador Ademar era uma tentativa de golpe?
  • Ou tudo não passou de uma disputa pela presidência da câmara?
Estas são perguntas, que não adianta me perguntarem. Tudo o que sei é que aqueles que foram os maiores adversários políticos do vereador Ademar Sanches foram os mesmos que reconheceram a sua inocência, votaram contra a sua cassação e fortaleceram o vereador Ademar Sanches, que com certeza diante desta vitória, se fortalecerá na sua carreira política e com isto, alguns ousam arriscar, que Ademar Sanches já tem vaga praticamente certa, por mais quatro anos no legislativo belterrense.

Por fim, vou concluir esta postagem com uma citação de parte de um despacho da juíza Josineide Gadelha Pamplona Medeiros, do dia 31/12/2012, sobre a situação de Belterra - no auge da crise política que aconteceu no final do ano passado:

"A crise institucional que se vê em Belterra-PA não decorre de conflitos de interesses políticos no sentido estrito do termo, mas sim de interesses individuais de políticos  que ignoram o bem comum e desrespeitam a representação que lhes foi confiada pelo povo". 


Direito de resposta: É assegurado pelo blog o direito de resposta a qualquer pessoa citada acima. É só entrar em contato.


* Nome pelo qual o(a) vereador(a) é conhecido(a) em Belterra(a). 

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: