12 de janeiro de 2012

Caiu a máscara?
Imagem da web
Caros leitores, tudo parecia bem, os vereadores de Santarém pareciam ter ficado "revoltados" com o Governador Simão Jatene e com seu vice Helenilson Pontes, por não terem apoiado o estado do Tapajós. Após o plebiscito, para "fazer a capa" os vereadores de Santarém até aprovaram uma moção de repúdio aos dois políticos. 

Porém, a "máscara" caiu quando o blogueiro JK divulgou uma carta que ele recebeu, que mostra que os vereadores aprovaram a moção de repúdio, mas continuam "comendo no mesmo prato". Vejam abaixo a carta publicada pelo blog do JK e eu volto logo depois.



JK, Bem que esse exemplo do PDT ( isto se referindo ao rompimento do PDT com o governo do Jatene ) poderia ser seguido por alguns vereadores de Santarém, pois apenas aprovaram uma moção de repúdio que não tem efeito nenhum; repúdio seria se:

1. O vereador Reginaldo Campos, entregasse a gerência regional do núcleo de justiça que a mulher dele comanda ganhando mais de 6 mil reais e as 8 assessoria de 2 mil cada uma que está em nomes de parentes;

2. O vereador José Maria Tapajós, devolve-se a direção do Inmetro e mais 7 assessorias (01 de 5 mil em nome de um dos advogados da câmara) as demais em nomes de apadrinhados;

3. O vereador Erasmo Maia, entregar a direção da 5ª URE que sua tia coordena ganhando 6.500 reais, e devolve-se as 10 indicações de assessorias que variam de 2.500 a 6 mil reais;

4. O vereador Nélio Aguiar, devolver as 15 assessorias que variam de 3 a 5 mil reais, mais as 10 indicações de emprego (05 só agente prisionais);

5. O vereador Jailson do Mojuí, entregar a assessria que está no nome do seu irmão Jairo, que é de 2.500 reais e mais 5 indicações de assessores ao governo do estado;

6. O vereador Henderson pinto, devolver a assessoria que está no nome de sua mulher que ganha 6 mil reais, e de um irmão e mais 5 assessorias de 3 mil reais;

7. O vereador Gerlande Castro, que tem em sua cota 4 assessorias de 2 mil reais

8. O vereador Mauricio Corrêa, renunciar as 5 indicações de assessorias de 3.500 reais;

9. A vereadora marcela Tolentino, devolver algumas indicações que ela fez pro Hospital Regional, e 3 assessorias de 4 mil reais;

…. e por ai vai de desenrolando.

Isso sim, se acontecesse era repúdio. Agora aprovar uma “moçãolzinha”, é brincar com a inteligencia do povo que os elegeu. portanto senhores vereadores. façam as coisas corretas, ou partam para cima do Governador e tragam recursos para Santarém…

JK esses são os nossos representantes.

Mudança já! 

VOLTEI:
Pois bem, e a resposta para o meu título? Os vereadores estavam - ou estão - comendo no mesmo prato ou entendi errado? Portanto, fica a pergunta no ar, e se algum vereador quiser responder, o espaço está aberto.


Deixe aqui seu COMENTÁRIO: