6 de janeiro de 2012

Na verdade, não apenas eu fiquei emocionado e perplexo, dezenas de outras pessoas também ficaram.

Eu sou portador da Doença de Gaucher, tenho 27 anos, e antes de ser diagnosticado, eu passei por vários médicos para me tratar das conseqüências desta doença - que até então eu nem sabia que tinha.

Durante esta minha peregrinação em busca de tratamento, conheci vários médicos, de várias especialidades, temperamento, profissionalismo e nível de educação. Alguns são divertidos e sorridentes (como minha Drª Cynthia do HEMOAM - Manaus - AM), outros são ignorantes e tratam os pacientes "nas pontas do pés", outros pouco de importam com o paciente e outros são péssimos mesmo, que me desculpem quem pensa o contrário.

VEJA UM CASO, QUE UM MÉDICO SE NEGOU A ME ATENDER:
Houve uma vez que cheguei ao Pronto Socorro de Santarém numa sexta feira - há uns anos atrás -, com um caso grave de osteomielite(inflamação aguda nos ossos), sem poder andar, com dores nos ossos e febre horrível, carregado pelo meu pai e minha mãe e o indivíduo do médico me perguntou: "Está saindo pus de algum local?" - isto se referindo se meus ossos já tinham "estourado" a ponto de vazar pus - e eu entre gemidos respondi que não, então o médico virou as costas e disse: "Então volte na segunda feira". Para minha sorte, naquele dia eu consegui uma consulta particular, e a partir de então comecei a tomar o antibiótico necessário, bem como antiflamatório e analgésico.

AGORA, VEJA COMO UMA MÉDICA CONSEGUIU EMOCIONAR DEZENAS DE PESSOAS:
Nem todos os médicos - acredito que a maioria - são como o médico do exemplo citado acima. Ainda há médicos que amam o que fazem e atendem os pacientes com muito amor e carinho. Hoje de madrugada, a médica Ilmara Sousa me deixou emocionado ao falar da sua felicidade ao ver o paciente dela se recuperando. Veja abaixo o que ela postou no Facebook:

"ENTREI DE PLANTÃO ÀS 19HS E TÔ MUITO FELIZ PORQUE UM PACIENTE QUE ESTAVA MUITO GRAVE ESTÁ SE RECUPERANDO BEM.QUE BOM É SER MÉDICA! ESSES MOMENTOS NÃO TEM PREÇO!"
"

Diante disto, eu gostaria de parabenizá-la. Espero que este exemplo seja seguido por outros profissionais da saúde e também de outras áreas.

Quanto aos médicos iguais ao do primeiro caso que citei, eu recomendo que vocês sempre gravem as suas consultas para qualquer ação judicial posterior.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: