13 de janeiro de 2012

Se tivesse matado por amor seria o maior serial killer do mundo, afinal Bruno tinha trocentas mulheres", diz defesa de Macarrão
Macarrão, em dezembro de 2011, durante sessão de
depoimentos no Departamento Estadual de Operações
Especiais. Foto: AE


Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, chorou ao saber que a defesa do ex-goleiro Bruno Fernandes de Souza o acusa de ter matado Eliza Samudio por um sentimento amoroso dele pelo atleta. Eliza foi amante de Bruno e teve um filho com ele há dois anos. Ela desapareceu pouco depois do nascimento de Bruninho e investigação policial acusa Bruno, Macarrão e outras sete pessoas de envolvimento no caso, incluindo um menor à época do crime. 

A informação da reação de Macarrão às entrevistas do novo defensor de Bruno, Rui Pimenta, é do advogado dele, Wasley Cesar de Vasconcelos. “Ele falou comigo ontem e tinha lágrimas nos olhos. Ficou muito constrangido”, disse Vasconcelos ao iG.

Pimenta assumiu o caso no final do ano passado e declarou a jornalistas, nesta quinta-feira (12), que a tatuagem de Macarrão em homenagem ao Bruno indica sentimento homossexual. Disse ainda que Eliza foi morta por Macarrão por amor dele ao ex-atleta do Flamengo.

“Se ele tivesse matado por amor, seria o maior serial killer do mundo, afinal Bruno tinha trocentas mulheres. E porque Bruno iria esperar um ano e dez meses para revelar isso?”, indaga o advogado de Macarrão.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: