11 de dezembro de 2011

LUTO: Imagem criada pelo blogueiro Ronilson Santos.
O dia hoje foi cheio de emoções. Primeiro, comecei o dia ansioso, com o celular na mão, a bordo do Twitter e do Facebook para não perder nenhum detalhe do plebiscito que poderia dar um novo rumo à minha região tão sofrida e esquecida pelo governo do estado do Pará. Como já postei aqui anteriormente, não pude votar por motivo de saúde. Mas, daqui de Manaus, fiz campanha até o último momento nas redes sociais e por SMS, para conseguir mais votos para o SIM.

A tensão aumentou quando a apuração dos votos começou e eu pude ver o que eu já temia: milhares de pessoas da região de metropolitana de Belém , tentaram matar o nosso sonho de criar o Estado do Tapajós. A apuração terminou, e meu sorriso não pode aparecer, nem o de milhares de pessoas que há anos amargam o abandono e alimentam a esperança de um dia dividir o estado do Pará. Amanhã (12), é dia de LUTO, é dia chorar, pois o Pará não ganhou em nada com a vitória do NÃO. Esta decisão das urnas jamais deixará o Pará mais unido, muito pelo contrário...

Mas, nem tudo é tristeza. Eu tenho que comemorar algumas coisas:
  1. Primeiro, nós provamos que quem quer criar o Tapajós não é meia dúzia de pessoas separatistas de outros estados como diziam alguns mentirosos, prova disto foi o resultado das urnas. Em Santarém, por exemplo, 98% votaram a favor da criação do estado do novo estado. 
  2.  Depois, devo dizer que plebiscito foi muito proveitoso para “acordar a minha geração” e porque não dizer para acordar todo o povo da grande área do Tapajós. Se antes, a luta pelo Tapajós, era visto por muitos como uma reivindicação de poucos, hoje, ficou claro que são milhares de pessoas. Eu posso dizer que o hoje, o desejo de criação do estado do Tapajós está na nossa veia, está no coração, está nos nossos sonhos.
  3. Outro ponto muito importante, é que o plebiscito foi um divisor de água na política paraense. Eu costumo dizer que apenas nessas horas conhecemos os políticos. Quando eles são forçados à decidir de que lado eles estão, à sair de cima do murro, é que conhecemos quem é quem. Hoje, já sabemos quem é a favor da nossa região e quem não é. E para refrescar a sua memória, devo publicar aqui em breve a lista dos políticos contrários à criação do Tapajós. Inclusive, estou reunindo matérias, reportagens, fotos que mostrem e comprovem quem era contra o nosso estado. 
Finalizo parabenizando à todos o que lutaram, que foram às ruas, que debateram, que fizeram campanha nas redes sociais, nas ruas e em todo lugar que foi possível. Parabéns à todos. Vamos continuar lutando. A luta não terminou, apenas nos deu experiência política e muito mais conhecimento para saber quem está do nosso lado.

Observação: Não sou filiado à nenhum partido político. Logo, nem sou um fanático partidário em busca de interesses do meu partido político, nem muito menos, um indivíduo tapado sem inteligência alguma. Se defendo o Tapajós, é porque tenho mil e um motivos para isto. 

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: