20 de dezembro de 2011

Por Ezequias Borges*
Mais um capítulo da novela “A LOA E O AFASTAMENTO” ocorreu hoje na Câmara Municipal de Vereadores de Belterra. Com a presença de todos os 9 vereadores Ademar Sanches (PT), Nilda Paixão (PSD), Malú (DEM), Dr. Macedo (DEM), Professor Ulisses Alves , Betão, Mico e Laura Mota (PMDB) e Reginaldo Lobo (PP), e com a galeria mais uma vez repleta de comunitários e alguns servidores do Município, iniciou-se a Sessão Extraordinária, cuja a expectativa, girava em torno da votação da LOA (Lei Orçamentária Anual) para o exercício de 2012, e foi anunciada pelo Presidente da Câmara, Vereador Irmão Ademar, como é popularmente conhecido. 

Na foto, vê-se o vereador Ademar no dia da sua posse
como presidente, ladeado por seus colegas.
Porém, uma maior expectativa ainda, era se a votação do pedido de afastamento do próprio Presidente, assinado por 7 vereadores seria também colocada em pauta, e o documento foi também lido aos presentes, inclusive a determinação da Justiça, que orientava a votação para a próxima sessão ordinária, extraordinária, ou em uma data exclusiva marcada para este fim. 

Após o Presidente anunciar, que uma outra Sessão seria marcada para votação sobre seu afastamento, os ânimos começaram a se alterar, e a Vereadora Nilda Paixão, argumentando a questão de ordem, solicitou ao Presidente que colocasse em pauta naquela sessão, e invertesse a ordem das pautas, ou seja, primeiro tratariam de seu afastamento e depois votariam na LOA, o que provocou as primeiras vaias das pessoas que ocupavam a galeria, e em seguida, o vereador Reginaldo Lobo, apenas perguntou ao Presidente se “seria ou não definitivamente votado o pedido de seu afastamento”, ao receber reposta negativa, ele e os demais vereadores, Ulisses, Macedo, Laura e depois a vereadora Nilda, se retiraram sobre vaias da plenária, o que levou o Presidente por falta de quórum encerrar a sessão extraordinária, e desculpou-se com o povo ali presente, lamentando que “os interesses partidários de seus colegas naquele momento estavam acima dos interesses da população de Belterra, uma vez que a LOA, foi elaborada com a participação de lideranças de todos os Distritos, que elegeram prioridades para o exercício de 2012”. 

Em resumo, a extraordinária não aconteceu, logo não há por que “gratificar” os nobres edis, e pela primeira vez na história do Legislativo Belterrense, a LOA encontra dificuldades para ser aprovada, e o assunto já chegou em todo o território do Município.

* É repórter do Jornal A CORRENTE de Belterra.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: