16 de dezembro de 2011

Segundo informações do Blog do Patrocínio, um oficial de justiça está (hoje 16/12/11) na cidade de Belterra para entregar um mandado de segurança ao vereador Ademar Sanches (PT), expedido pela Juíza Betânia Figueiredo Pessoa Batista. Segundo estas informações, este mandado de segurança obriga o vereador Ademar Sanches – que é presidente da Câmara Municipal de Belterra – a colocar em votação o seu pedido de afastamento proposto por sete vereadores.

ENTENDA O CASO:
Há alguns dias o presidente da Câmara Municipal dos vereadores vem dando um “jeitinho brasileiro” para não colocar em pauta o seu próprio pedido de afastamento. Este pedido foi elaborado por sete vereadores daquela casa. 

Na ultima sessão, em que era pra acontecer a votação da LOA - que segundo informações se encontra deste setembro aguardando para ser aprovada -, os vereadores usaram de estratégia, e segundo o blog do Patrocínio, este se recusaram a votar a LOA antes que o vereador lê-se o seu pedido de afastamento. No entanto, a sessão findou sendo encerrada por falta de ordem naquela casa, e no final, o vereador Reginaldo Lobo (PP) e o ex-vereador José Nicanor (PT) acabaram nos socos. 

E afinal, qual o motivo mesmo para este pedido de afastamento? O motivo é uma denúncia de um pagamento por uma suposta viagem que não existiu. 

Por falar em presidente daquela casa, o ex-presidente foi considerado réu no último dia 14, em um processo que apura supostos cheques em nome de seu filho e uso excessivo de gasolina. Isto tudo acontece, ao mesmo tempo em que a vereadora Zelma (PMDB) – atualmente licenciada por está à frente da secretaria de saúde – enfrenta a CPI da Saúde. Ou seja, o legislativo de Belterra vive uma crise total. 

Enquanto a crise cresce, a população pode ter sérias conseqüências em virtude do Plano de Cargos e Salários não ter sido aprovado – e com isto não houve concurso – e nem a LOA para 2012. Diante disto, Belterra pode ter sérios prejuízos financeiros, por falta da aprovação da LOA e político, por falta de concurso. Ou seja, o "voto cabresto" pode continuar a existir. Naquele antigo estilo, se não votar em fulano e siclano pode ser demitido. Ou então, daquela outra forma, vote em mim, que te dou um emprego e por aí vai...(Prometo ficar de olho em casos como estes).

Por fim, com o legislativo em crise, com vereadores afogados em denúncias e com uma excessiva disputa partidária, a população belterrense só tem prejuízos. Por isto, fiquem atendo... as eleições vem aí...

Leia mais em Justiça expede mandado de segurança contra presidente da Câmara de Belterra

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: