6 de outubro de 2011

Apple publica imagem em homenagem a seu fundador

SÃO PAULO - O  cofundador da Apple, Steve Jobs, morreu nesta quarta-feira, dia 5, na Califórnia.  A informação foi confirmada pela Apple que publicou uma homenagem a seu principal executivo no site Apple.com. Jobs tinha 56 anos.


Não há informação oficial sobre a razão da morte de Steve Jobs. Nas últimas semanas, no entanto, Jobs foi fotografado ao menos duas vezes com aparência muito debilitada. O executivo sofria de câncer e renunciou ao cargo de CEO da companhia há pouco mais de um mês.

Em breve comunicado no site oficial, a empresa que Jobs ajudou a criar diz que “a Apple perdeu um gênio criativo e visionário, e o mundo perdeu um ser-humano incrível. Aqueles que tiveram a sorte de trabalhar com Steve perderam um querido amigo e mentor. Steve deixou para trás uma companhia que só ele poderia ter construído e seu espírito será sempre a base da Apple".
Biografia - A trajetória de Steve Jobs, ex-CEO da empresa de tecnologia mais valiosa do mundo, teve origem na obsessão de sua mãe biológica em assegurar-lhe um curso superior, o que ele rejeitaria quando adulto.

Filho de uma jovem mãe solteira de San Francisco, Steve foi oferecido para adoção poucas semanas após nascer. Sua mãe queria que uma família de pessoas graduadas em universidade o adotassem. A primeira tentativa de adoção ocorreu quando a mãe de Jobs o ofereceu a um casal de advogados.
Após concordar com a adoção, o casal mudou de ideia ao receber Jobs. Segundo a mãe biológica de Jobs, os advogados argumentaram que, na verdade, prefeririam adotar uma menina. Então outro casal pediu a adoção de Jobs, que foi concedida por sua mãe biológica.
Paul e Clara Hagopian Jobs, os pais adotivos de Jobs, quase o perderam após a adoção pois, ao contrário do que informaram à mãe biológica do fundador da Apple, eles não eram graduados. Para manter o filho adotivo, o casal comprometeu-se a pagar-lhe uma faculdade em sua vida adulta. Quando completou 17 anos, Jobs entrou no Reed College, mas desistiu 18 meses depois.
Em famoso depoimento a formandos da Stanford University, Jobs explicou que não via sentido ao ver seus pais adotivos gastarem toda sua renda para pagar-lhe uma faculdade que ele considerava pouco útil a seus planos. Fora das aulas regulares, Jobs estudou caligrafia na Reed College, o que considerou fundamental para o sucesso da Apple. “Graças as aulas de caligrafia ganhei o conhecimento de design que fez toda a diferença na história da Apple”, conta Jobs em seu discurso em Stanford.
Em seu keynote na universidade americana, Jobs atribui o segredo de sua trajetória de sucesso a capacidade de “unir os pontos” entre os diferentes acontecimentos em sua vida, como valorizar o design e dedicar-se a algo que gosta. “Tive sorte de descobrir cedo o que eu amava na vida. Conheci Steve Wozniak e começamos uma empresa totalmente inovadora”, lembra.
Ao falar de sua paixão pela Apple, Jobs relembra que, mais uma vez, foi rejeitado. “Eu fui demitido de uma empresa que eu mesmo criei. Eu fui rejeitado, mas continuei apaixonado (pela Apple)”, conta. Fora da Apple, Jobs casou-se com sua atual esposa, Lorena, e fundou a Pixar e a NeXt, esta última uma empresa que acabaria comprada pela Apple em 1996 e asseguraria o retorno de Jobs à companhia. “Ser demitido foi a melhor coisa que me aconteceu.
Como um iniciante, vivi o período mais criativo de minha vida”, afirmou. Jobs diz ainda que após sua decepção com a saída da Apple só seguiu em frente por que era apaixonado pelo que fazia. “Você só consegue seguir em frente quando ama alguma coisa de verdade. Eu nunca perdi a fé”, disse. No mesmo discurso, Jobs fala sobre a perspectiva de morrer.
“Lembrar que você vai morrer faz você concentrar as atenções nas coisas realmente importantes”, anotou ao lembrar de quando foi informado que tinha um câncer no pâncreas, em 2004. “A morte é a melhor invenção da vida. Ela tira o que é velho do caminho e abre espaço para o novo”, afirma. Na conclusão de seu discurso, Jobs diz que não há razão para não seguir o que seu coração pede para ser feito.
Histórico de doenças - A morte de Steve Jobs hoje está longe de ser uma surpresa. Antes de renunciar ao cargo de CEO no dia 24 de agosto deste ano, ele já havia se afastado da empresa ao menos três vezes por licença médica.
Desde 2004 a saúde de Jobs é motivo de preocupação. Naquele ano, ele foi diagnosticado com um câncer no pâncreas e pediu afastamento. Embora tumores nesse órgão sejam muito agressivos, seu caso aparentemente era raro e muito menos grave. Após a cirurgia, ele não precisou realizar quimioterapia.
Durante sua primeira ausência, Tim Cook, então chefe de vendas globais da Apple, dirigiu a empresa. Em agosto de 2006, durante  a conferência anual de desenvolvedores da maçã, a aparência de Jobs chocou a todos, e sua magreza gerou boatos de reaparecimento do câncer. O problema, segundo a Apple, seriam alterações hormonais “naturais”.
Em 2008, após Jobs cancelar várias aparições públicas, a Bloomberg equivocadamente publicou um obituário do executivo e, no mesmo ano, a CNN cometeu um erro similar de informação e divulgou que Jobs estava internado após sofrer um ataque no coração.
Apesar das notícias sobre sua morte virarem motivo de piada pelo próprio executivo, no final daquele mesmo ano Steve Jobs anunciou seu segundo afastamento da direção da companhia.  Na época, os papéis da Apple recuaram mais de 10% na bolsa eletrônica Nasdaq.
Em abril de 2009, quando voltou a trabalhar, ele revelou ter sido submetido a um transplante de fígado. Durante o período, Tim Cook novamente assumiu o comando da empresa.
ddd
Quase dois anos depois, em janeiro de 2011, a Apple anunciou a terceira licença médica de Jobs, com Cook novamente assumindo as operações. A empresa, no entanto, ressaltou que seu principal executivo continuaria envolvido em grandes decisões estratégicas.
Mesmo afastado, Jobs esteve no lançamento do iPad 2 em março e no WWDC, em junho. Esta foi sua última aparição pública.
Ao longo de setembro, ao menos duas fotos divulgadas por sites de celebridades chocaram os admiradores de Jobs. Em ambas, ele aparecia extremamente magro e frágil. Houve questionamentos sobre a legitimidade das imagens.
Na noite desta quarta-feira, no entanto, a própria Apple confirmou o falecimento de Steve Jobs.

Veja abaixo o famoso vídeo em que Steve Jobs fala sobre sua vida, em Stanford, e sobre a possibilidade de morrer.
Fonte: Info.abril.com.br

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: