12 de outubro de 2011


Vejam a notícia publicada no site do Yahoo e logo abaixo eu comento algumas coisas:


"O Tribunal Superior do Trabalho (TST) declarou que a greve dos funcionários do Correios, que já dura 28 dias, como não abusiva, e que os funcionários devem voltar ao trabalho na quinta-feira (13). A decisão foi tomada durante julgamento do dissídio coletivo que determinou um aumento real de R$ 80 a partir de 1º de outubro de 2011, com reajuste salarial de 6,87% a partir de 1º de agosto.
Sobre os dias parados, os demais ministros não acompanharam o voto do relator e decidiram pelo desconto imediato de sete dias de paralisação e a compensação de outros 21 até maio de 2012 aos sábados e domingos. Pelo entendimento do TST, os funcionários dos Correios devem retornar ao trabalho à 0h de quinta-feira. O descumprimento dessa decisão tornará a greve abusiva. O comando nacional de greve ainda não informou como será feito o encaminhamento da decisão aos 35 sindicatos regionais.
O presidente do tribunal, o ministro João Oreste Calazen, chamou a atenção para o fato de o reajuste corresponder à variação do INPC, o que poderia ser interpretado como a indexação. No entanto, foi acatado o argumento do ministro Walmir Oliveira da Costa. Ele afirmou que foi feita a escolha da decisão conciliadora das partes, sem interesse de atrelar o reajuste à variação do índice.
A greve da categoria começou dia 14 de setembro. O ministro relator não considerou o movimento grevista abusivo porque os trabalhadores não cometeram atos de violência e nem de vandalismo durante a paralisação." Fonte: Yahoo
VOLTEI
Imagem encontrada na Web.
Bem, deixa eu ver se eu entendi, a greve não é abusiva, não foi isso que você leu? Agora, se não retornarem na quinta-feira, a greve se tornará abusiva não é isso? Pois bem, a greve não é abusiva, mas 7 dias serão cortados e os demais serão compensados. Eu poderia até comentar alguma coisa, mas é uma decisão judicial não é? Mas, vou fazer uso de um restinho de democracia que me resta, e vou afirmar aqui que eu pessoalmente não concordo com o corte de ponto dos grevistas e pronto. 


Leia mais: Corte de ponto dos grevistas, uma censura silenciosa


Deixe aqui seu COMENTÁRIO: