25 de setembro de 2011

Após mais de 100 dias em greve, os Técnicos-Administrativos em Educação (TAE's) finalmente voltam ao trabalho nesta segunda-feira (26). Foram longos dias de tentativas(frustradas) de negociação com o governo da Dilma (do PT do Lula), no entanto, a negociação não avançou muita coisa. 


Muito pelo contrário, o governo da Dilma, tentou tirar o direito de greve dos TAE's. A categoria chegou a ser informada, que o governo atual(do PT, que antes de chegar no poder apoiava os movimentos grevistas) não negociaria com a categoria em greve. Além disto, ainda judicializou a greve, esperando que a justiça declarasse a greve dos TAE's ilegal, para a partir de então passar a descontar o ponto dos grevistas. Até o presente momento, os técnicos ainda não sabem se os dias parados serão descontados ou não, pois ainda não foi julgado o mérito da questão. Até agora, tudo o que saiu foi uma liminar, que reconheceu que a greve dos TAE's era legítima, mas determinou que 50% voltassem ao trabalho. Neste sentido devo parabenizar a presidente Dilma, por ter tentar censurar o nosso direito de greve, renunciando tudo aquilo que o PT "pregava" antes de chegar no poder(Chegou, mas não com minha ajuda).


Devido ao fato do governo do PT ter fechado as portas para a negociação, e além disso, ainda negociou com a categoria dos professores para que eles não entrassem em greve, para não enfraquecer o movimento dos TAE's, a FASUBRA aprovou no último dia 15, depois de um intenso debate, uma proposta de saída unificada da greve. A saída unificada visa não desgastar o movimento, mas sim, fortalecer e reorganizar para uma possível volta com força total em 2012. A proposta foi analisada por cada base. No Pará, a UFOPA, a UFPA e a UFRA aprovaram a proposta. E na última sexta (23) a FASUBRA ratificou a decisão da maioria das bases, aprovando assim, a saída unificada da greve.


Devo reconhecer a ousadia, a coragem, a determinação de cada técnico, que se dispôs à lutar contra este governo, que tenta, entre muitos outros danos: Congelar o salários dos Técnicos por 10 anos e acabar com a estabilidade dos servidores. Parabenizo à todos os que se empenharam, que juntaram forças neste movimento, fazendo acampamento, ocupação, passeatas, barulho e até mesmo ocupação do Câmara dos deputados.

Vale ressaltar, que para mim a greve foi muito produtiva, para que eu pudesse conhecer melhor o governo que nós temos, que pouco se importa com a categoria dos Técnicos-Administrativos em Educação, e por que não dizer com educação como um todo. Também pude conhecer melhor a FASUBRA - que detém na sua base um grande número de governistas que tentam, a todo custo, ir contra os interesses da categoria, a fim de proteger seus interesses políticos-partidários, pude conhecer melhor como funciona o movimento sindical (Que neste momento, prefiro não comentar aqui...) e muito mais ainda, tive a oportunidade de perceber que o "sentimento de categoria" ainda anda longe da cabeça de muitos técnicos.


É verdade que este governo deu as costas para os TAE's, mas, uma das grandes causas para "a não conquista" dos objetivos da categoria, foram nossos próprios colegas. Muitos são aqueles que deixam os seus direitos de lado, e acham que bom mesmo, é ficar do lado da chefia, em vez de apoiar a luta da categoria. Outros, preferem ser "admiradores secretos da greve". Estes, até perguntam como anda a greve, dizem que apoiam, mas todo dia vão ao trabalho "desafogar" o sistema da universidade, enfraquecendo assim o movimento grevista. E o que dizer dos professores que negociaram com o governo, sem nem ao menos lembrar dos TAE's? Faltou sensibilidade do governo, mas também faltou muita mobilização, e sentimento de categoria na cabeça de muitos colegas técnicos e professores.


Sem falar que muitos são aqueles, que vêem o movimento grevista como rebeldes, intransigentes, baderneiros e etc. Quando o governo fala isto, até que dar pra aceitar(pois deste, eu não esperava muita coisa mesmo) . Mas, pior mesmo, é perceber que alguns dos próprios colegas da categoria, preferem "ter esse entendimento", ou melhor, essa falta de entendimento e lucidez", para dar uma de "bom menino" diante da chefia. Eu poderia imaginar(e até dizer), que muitos não entram em greve para defender sua função gratificada, que outros não entram em greve esperando receber futuramente uma possível "função gratificada", e receber aquele "aumentozinho" no salário... Ou até mesmo, que alguns não entram em greve, visando outros interesses particulares... Mas, nesta postagem, eu jamais falarei isto (E até mesmo me esquivei de imaginar). A moral da história, é que faltou mesmo foi mais garra, foi sentimento de categoria nos que não aderiram à greve. 


Finalmente devo parabenizar aos acadêmicos que sofreram alguns transtornos nesses últimos dias, devido alguma deficiência no atendimento, no entanto, diante de tudo isto, ainda manifestaram apoio à greve dos TAE's. Não posso esquecer também, de algumas chefias (bem poucas) que manifestaram o seu apoio à greve, e que em raros momentos nos defenderam. Elogio à todos os reitores, pró-reitores e professores que respeitaram o direito de greve da categoria e jamais tentaram impedir os técnicos de aderir ao movimento. Elogio também aos senhores deputados (que ganham salários exorbitantes) que pouco - quase nada -  fizeram em prol da nossa greve.


A greve terminou, mas a luta continua. A categoria deve permanecer mobilizada e disposta à retomar a luta a qualquer momento. Para mim, a volta não é boa coisa. Bom mesmo, era voltar da luta com alguma conquista plausível para a categoria e para a educação. Mas tudo bem, que possamos está unidos e fortalecidos para que no momento oportuno voltemos à luta contra aqueles que tentam a todo custo prejudicar a categoria e a educação.


Há, não custa nada lembrar. Diante dos expostos acima, dar pra perceber que a Dilma, Lula e CIA, jamais terão meu voto pelos próximos 1000 anos não é? Ou isto ficou meio que implícito? Se ficou, acho que este parágrafo deu pra esclarecer.
Leia também a postagem: SAÍDA UNIFICADA DA GREVE DOS TÉCNICOS - A LUTA CONTINUA


Observação: Este blog é pessoal, e o texto acima, não representa a ideia da categoria, mas sim a opinião deste blogueiro.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO: